Grécia surpreende pela organização e pelos casos de doping de duas de suas estrelas

Desacreditada e ameaçada pelo Comitê Olímpico Internacional de ter seu direito de sede dos Jogos cassado, Atenas calou os críticos ao conseguir passar os 16 dias do evento sem qualquer incidente na organização. A segurança assustava grande parte das delegações, já que os Jogos de 2004 foram os primeiros após os atentados de 11 de setembro de 2001, em Nova York, e de 11 de março de 2004, em Madri.

Os problemas de atraso nas entregas das praças olímpicas foram esquecidos na cerimônia de abertura, que remeteu à Antiguidade e explorou ao máximo o fato de os gregos terem criado a Olimpíada.
 
O único revés ocorreu no último dia de competição, durante a maratona, para tristeza dos torcedores brasileiros. À frente na disputa masculina, Vanderlei Cordeiro foi alvo do ataque de um manifestante religioso, o padre irlandês Cornelius Horan, que furou a segurança. Com ajuda de um espectador da prova, Vanderlei conseguiu voltar à corrida, mas demorou para retomar seu ritmo e ficou com o bronze. O maratonista recebeu também a medalha "Barão de Coubertin" e tornou-se o herói olímpico de Atenas.
 
O doping também chamou a atenção nos Jogos gregos. Na véspera do início da Olimpíada, Kostantinos Kenteris e Ekaterina Thanou, duas estrelas do atletismo local, faltaram aos exames antidoping obrigatórios e depois sofreram um misterioso acidente de moto. Ambos não competiram e decepcionaram os fãs. No total, Atenas-2004 registrou 24 casos positivos de doping. Para o Comitê Olímpico Internacional, resultado da rígida política de controle. O presidente do COI, Jacques Rogge, já alertava que a edição grega bateria o recorde de registros.
 
Mais dinheiro, o melhor ranking
 
Na primeira Olimpíada em que pôde contar com a injeção mensal de verbas públicas no COB e nas confederações (a Lei Piva, colocada em vigor em fevereiro de 2002), o esporte brasileiro teve sua segunda melhor participação na história, em termos de ranking.
 
O Brasil terminou na 16º posição, uma acima do que o país conseguiu em Moscou-1980, quando foi beneficiado pelo boicote dos países ocidentais, e uma atrás de Antuérpia-1920, na primeira participação brasileira.
 
Foram cinco ouros em Atenas-2004: seleção masculina de vôlei, Torben Grael/Marcelo Ferreira (classe Star) e Robert Scheidt (classe Laser) na vela, Emanuel e Ricardo no vôlei de praia, e Rodrigo Pessoa no hipismo. Este último de herança, só confirmado após o doping do cavalo campeão.

O vôlei feminino, o atletismo e a ginástica artística contrariaram as expectativas. O time de José Roberto Guimarães perdeu a semifinal depois de tomar uma virada inacreditável no quarto set, quando vencia por 24 a 19 e precisava de um único ponto para fechar o jogo contra a Rússia. Daiane dos Santos, na época campeã mundial do solo, ficou fora do pódio após errar na final. Desempenho igualmente frustrante teve Jadel Gregório, quinto no salto triplo, e o revezamento 4 x 100 m rasos, oitavo.

Classificação de 2004
  País Ouro Prata Bronze  
Estados Unidos 36 39 28 103
China 32 17 14 63
Rússia 27 27 38 92
Austrália 17 16 16 49
Japão 16 9 12 37
Alemanha 13 16 20 49
França 11 9 13 33
Itália 10 11 11 32
Coréia do Sul 9 12 9 30
10º Reino Unido 9 9 12 30
11º Cuba 9 7 11 27
12º Ucrânia 9 5 9 23
13º Hungria 8 6 3 17
14º Romênia 8 5 6 19
15º Grécia 6 6 4 16
16º Brasil 5 2 3 10
17º Noruega 5 0 1 6
18º Holanda 4 9 9 22
19º Suécia 4 2 1 7
20º Espanha 3 11 5 19
21º Canadá 3 6 3 12
22º Turquia 3 3 4 10
23º Polônia 3 2 5 10
24º Nova Zelândia 3 2 0 5
25º Tailândia 3 1 4 8
26º Belarus 2 6 7 15
27º Áustria 2 4 1 7
28º Etiópia 2 3 2 7
29º Eslováquia 2 2 2 6
Irã 2 2 2 6
31º Taiwan 2 2 1 5
32º Geórgia 2 2 0 4
33º Bulgária 2 1 9 12
34º Jamaica 2 1 2 5
Uzbequistão 2 1 2 5
36º Marrocos 2 1 0 3
37º Dinamarca 2 0 6 8
38º Argentina 2 0 4 6
39º Chile 2 0 1 3
40º Cazaquistão 1 4 3 8
41º Quênia 1 4 2 7
42º República Tcheca 1 3 4 8
43º África do Sul 1 3 2 6
44º Croácia 1 2 2 5
45º Lituânia 1 2 0 3
46º Egito 1 1 3 5
Suíça 1 1 3 5
48º Indonésia 1 1 2 4
49º Zimbábue 1 1 1 3
50º Azerbaijão 1 0 4 5
51º Bélgica 1 0 2 3
52º Bahamas 1 0 1 2
Israel 1 0 1 2
54º Camarões 1 0 0 1
Emirados Árabes Unidos 1 0 0 1
República Dominicana 1 0 0 1
57º Coréia do Norte 0 4 1 5
58º Letônia 0 4 0 4
59º México 0 3 1 4
60º Portugal 0 2 1 3
61º Finlândia 0 2 0 2
Sérvia e Montenegro 0 2 0 2
63º Eslovênia 0 1 3 4
64º Estônia 0 1 2 3
65º Hong Kong 0 1 0 1
Índia 0 1 0 1
Paraguai 0 1 0 1
68º Nigéria 0 0 2 2
Venezuela 0 0 2 2
70º Colômbia 0 0 1 1
Eritréia 0 0 1 1
Mongólia 0 0 1 1
Síria 0 0 1 1
Trinidad e Tobago 0 0 1 1
+ Mais


Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos