Barcelona encerra espera de sete décadas e apresenta Jogos com nova divisão geopolítica

A cidade de Barcelona esperou quase 70 anos para poder abrigar os Jogos Olímpicos. Em 1924, a Olimpíada tinha sido prometida à cidade espanhola, porém Pierre de Frédy, o Barão de Coubertin, escolheu Paris. Em 1936, três anos após a subida do nazismo ao poder na Alemanha, os Jogos iriam novamente para Barcelona, mas a Guerra Civil Espanhola postergou o evento mais uma vez.

Depois dos Jogos de Seul, em 1988, o mundo passou por grandes transformações na sua geopolítica. O apartheid foi banido da África do Sul, o que possibilitou o retorno do país aos Jogos. A Alemanha se reunificou após a queda do Muro de Berlim, em 1989. A União Soviética fragmentou-se em 15 novas repúblicas no ano da véspera da competição. Estônia, Letônia e Lituânia, ausentes há mais de meio século dos Jogos por causa da ocupação soviética, também participaram.
 
As repúblicas da antiga União Soviética desfilaram em Barcelona com o nome de Comunidade dos Estados Independentes (CEI), mas quando subiram ao pódio os atletas tiveram içadas as bandeiras de seus próprios países.
 
A Albânia, livre da ditadura, voltou aos Jogos após 30 anos. Cuba, Coreia do Norte e Etiópia também encerraram seu boicote. A Iugoslávia, sancionada pelas Nações Unidas pela agressão militar à Croácia e à Bósnia, foi proibida de participar das competições por equipes, mas os atletas do país puderam competir como "atletas olímpicos independentes". A chama olímpica foi acesa com uma flecha lançada pelo arqueiro paraolímpico espanhol Antonio Rebollo.
 
Vôlei consagra a geração de ouro
 
Formada por Tande, Amauri, André, Carlão, Douglas, Giovane, Janelson, Jorge Édson, Marcelo Negrão, Maurício, Paulão e Talmo, a seleção masculina de vôlei, comandada por José Roberto Guimarães, fez uma campanha impecável e consagrou-se como a “geração de ouro” ao vencer a Holanda por 3 sets a 0 na final.
 
Foi o primeiro ouro em esportes coletivos do Brasil, que contribuiu para o fim de um jejum: fazia oito anos que o país não subia mais de uma vez ao lugar mais alto do pódio. No judô, Rogério Sampaio triunfou com uma vitória dramática na categoria meio-leve, na qual derrotou o húngaro Jozsef Csak na contagem de pontos para levar o segundo ouro.
 
O nadador Gustavo Borges por pouco não conseguiu o terceiro ouro: levou a prata nos 100 m livre. Essa medalha veio de forma sofrida. A prova foi bastante acirrada, com o russo Aleksander Popov, Borges e o francês Stephan Caron. Assim que os nadadores bateram a borda, o nome do brasileiro não apareceu no placar. O chefe da delegação brasileira e atual presidente da CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos), Coaracy Nunes, pulou a mureta da arquibancada e foi reclamar. O nome de Borges apareceu na quinta colocação. Coaracy continuou lutando e os fiscais resolveram assistir ao videoteipe da prova: prata para o Brasil.
 
Pela primeira vez desde Tóquio-1964, o atletismo do Brasil não ganhou medalha. Robson Caetano ficou em quarto nos 200 m rasos e Zequinha Barbosa, nos 800 m, também terminou na quarta colocação.
Classificação de 1992
  País Ouro Prata Bronze  
CEI 45 38 29 112
Estados Unidos 37 34 37 108
Alemanha 33 21 28 82
China 16 22 16 54
Cuba 14 6 11 31
Espanha 13 7 2 22
Coréia do Sul 12 5 12 29
Hungria 11 12 7 30
França 8 5 16 29
10º Austrália 7 9 11 27
11º Canadá 7 4 7 18
12º Itália 6 5 8 19
13º Reino Unido 5 3 12 20
14º Romênia 4 6 8 18
15º Tchecoslováquia 4 2 1 7
16º Coréia do Norte 4 0 5 9
17º Japão 3 8 11 22
18º Bulgária 3 7 6 16
19º Polônia 3 6 10 19
20º Holanda 2 6 7 15
21º Quênia 2 4 2 8
22º Noruega 2 4 1 7
23º Turquia 2 2 2 6
24º Indonésia 2 2 1 5
25º Brasil 2 1 0 3
26º Grécia 2 0 0 2
27º Suécia 1 7 4 12
28º Nova Zelândia 1 4 5 10
29º Finlândia 1 2 2 5
30º Dinamarca 1 1 4 6
31º Marrocos 1 1 1 3
32º Irlanda 1 1 0 2
33º Etiópia 1 0 2 3
34º Argélia 1 0 1 2
Estônia 1 0 1 2
Lituânia 1 0 1 2
37º Suíça 1 0 0 1
38º Jamaica 0 3 1 4
Nigéria 0 3 1 4
40º Letônia 0 2 1 3
41º África do Sul 0 2 0 2
Áustria 0 2 0 2
Namíbia 0 2 0 2
44º Bélgica 0 1 2 3
Croácia 0 1 2 3
Irã 0 1 2 3
Participantes Independentes 0 1 2 3
48º Israel 0 1 1 2
49º Formosa 0 1 0 1
México 0 1 0 1
Peru 0 1 0 1
52º Eslovênia 0 0 2 2
Mongólia 0 0 2 2
54º Argentina 0 0 1 1
Bahamas 0 0 1 1
Colômbia 0 0 1 1
Filipinas 0 0 1 1
Gana 0 0 1 1
Malásia 0 0 1 1
Paquistão 0 0 1 1
Porto Rico 0 0 1 1
Qatar 0 0 1 1
Suriname 0 0 1 1
Tailândia 0 0 1 1
+ Mais

Ficha

Países participantes
169
Número de modalidades
28
Número de atletas
9.356 (6.652 homens, 2.704 mulheres)
Participação do Brasil
25º lugar
Data de abertura
25 de Julho de 1992
Data de encerramento
09 de Agosto de 1992
Já conhece os de Atlanta-1996? Veja

Mascote

Reprodução Como Munique, Barcelona teve um cão como mascote: Cobi; confira outras

UOL Cursos Online

Todos os cursos