Vítima de bomba nuclear na Segunda Guerra, Japão comprova renascimento com a Olimpíada

Fora da Europa, nenhum país sofreu tanto com a Segunda Guerra Mundial quanto o Japão, atingido por duas bombas nucleares norte-americanas. Depois de 19 anos da bomba de Hiroshima, os japoneses usaram a Olimpíada para provar que estavam renascendo.

Em 1964, os Jogos foram disputados pela primeira vez no continente asiático. Tóquio tinha sido eleita como a sede olímpica de 1940, mas a capital japonesa desistiu em 1937, por causa do início da guerra contra a China. Em 1959, a cidade voltou vencer a eleição do Comitê Olímpico Internacional, para os Jogos de 1964.
 
Foram investidos US$ 3 bilhões na construção de complexos esportivos, na infra-estrutura e no sistema de transporte da cidade, na época com mais de 10 milhões de habitantes. Grande parte desse valor veio da ajuda dos Estados Unidos, ainda em dívida com os japoneses pelos danos causados durante a Segunda Guerra.
 
Entre as mais importantes construções estavam o Estádio do Judô e o Estádio Olímpico, projetado no estilo dos tradicionais templos japoneses. O último ficou lotado na cerimônia de abertura: como símbolo do renascimento japonês, o último a carregar a tocha olímpica foi Yoshinori Sakai, de 19 anos, nascido em Hiroshima em 6 de agosto de 1945, dia da explosão da bomba atômica.
 
Tóquio-1964 também marcou o ressurgimento olímpico dos EUA. Após duas derrotas no quadro geral de medalhas para a União Soviética, os norte-americanos não pouparam esforços e terminaram à frente dos soviéticos em medalhas de ouro (36 a 30). A URSS, entretanto, conquistou mais medalhas (96 a 90).
 
Nuzman, Feola e só uma medalha
 
Para os Jogos Olímpicos de Tóquio-1964 o Brasil enviou uma delegação menor do que na Olimpíada anterior, mas com alguns nomes importantes do esporte nacional.
 
O time de vôlei, sétimo colocado, tinha Carlos Arthur Nuzman, que 31 anos depois assumiu a presidência do Comitê Olímpico Brasileiro.No futebol, o treinador Vicente Feola, que foi campeão da Copa do Mundo de 1958, comandou uma seleção de amadores. No hipismo, Nelson Pessoa foi quinto colocado nos saltos (seu filho, Rodrigo Pessoa, conquistou o título olímpico em 2004).
 
A única medalha veio com o time de Wlamir Marques e Amaury Pasos, no basquete. Bicampeã mundial (venceu o Mundial em 1959 e em 1963), seleção brasileira ficou com o bronze pela segunda vez seguida (e a terceira na história das Olimpíadas).
 
A equipe brasileira, treinada por Kanela, era muito parecida com a que disputou Roma-1060. O núcleo era formado por Amaury, Wlamir, Mosquito, Rosa Branca, Jathyr, Edson Bispo e Sucar, além dos novatos Ubiratan, Friedrich Wilhelm Braun, Victor Mirschawka, Sérgio Machado e Edvar Simões. O time fez uma boa campanha na competição, vencida pelos EUA, com seis vitórias e três derrotas. Na disputa pela medalha de bronze, o Brasil derrotou Porto Rico por 67 a 60.
 
No atletismo e na natação, modalidades em que os brasileiros mantinham regularidade na conquista de medalhas, o país passou em branco. Aída dos Santos foi a única brasileira na Olimpíada de Tóquio e, sem treinador, terminou em quarto lugar no salto em altura, passando da marca de 1,74 m.
Classificação de 1964
  País Ouro Prata Bronze  
Estados Unidos 36 26 28 90
União Soviética 30 31 35 96
Japão 16 5 8 29
Alemanha 10 22 18 50
Itália 10 10 7 27
Hungria 10 7 5 22
Polônia 7 6 10 23
Austrália 6 2 10 18
Tchecoslováquia 5 6 3 14
10º Reino Unido 4 12 2 18
11º Bulgária 3 5 2 10
12º Finlândia 3 0 2 5
Nova Zelândia 3 0 2 5
14º Romênia 2 4 6 12
15º Holanda 2 4 4 10
16º Turquia 2 3 1 6
17º Suécia 2 2 4 8
18º Dinamarca 2 1 3 6
19º Iugoslávia 2 1 2 5
20º Bélgica 2 0 1 3
21º França 1 8 6 15
22º Canadá 1 2 1 4
Suíça 1 2 1 4
24º Bahamas 1 0 0 1
Etiópia 1 0 0 1
Índia 1 0 0 1
27º Coréia do Sul 0 2 1 3
28º Trinidad e Tobago 0 1 2 3
29º Tunísia 0 1 1 2
30º Argentina 0 1 0 1
Cuba 0 1 0 1
Filipinas 0 1 0 1
Paquistão 0 1 0 1
34º Irã 0 0 2 2
35º Brasil 0 0 1 1
Gana 0 0 1 1
Irlanda 0 0 1 1
México 0 0 1 1
Nigéria 0 0 1 1
Quênia 0 0 1 1
Uruguai 0 0 1 1
+ Mais

Ficha

Países participantes
93
Número de modalidades
21
Número de atletas
5.151 (4.473 homens, 678 mulheres)
Participação do Brasil
35º lugar
Data de abertura
10 de Outubro de 1964
Data de encerramento
24 de Outubro de 1964

Pôster e medalha

Reprodução Já conhece os do México-1968? Veja

UOL Cursos Online

Todos os cursos