Veto da rainha holandesa não impede Jogos em sede renegada antes pelo Comitê Olímpico

Após ser preterida duas vezes pelo COI (Comitê Olímpico Internacional) como sede da Olimpíada, a cidade de Amsterdã, na Holanda, organizou os Jogos Olímpicos de 1928 mesmo com o veto da rainha holandesa, Guillermina, que considerava o evento esportivo uma manifestação pagã.

Um Estádio Olímpico foi construído especialmente para a Olimpíada. Com capacidade para 40 mil espectadores, a construção tinha uma pista atlética de 400 metros, rodeada de um velódromo de 500 metros.
 
Pela primeira vez na história, uma edição da Olimpíada foi realizada sem a presença do Barão de Coubertin. Criador dos Jogos Olímpicos modernos e então presidente do COI, o Barão afastou-se do cargo em 1925, acreditando que sua missão estava cumprida. Coubertin também estava desiludido com a crescente profissionalização do esporte, que desvirtuava o ideal olímpico pregado pelo francês, e se refugiou na Suíça.
 
No aspecto esportivo, os Jogos registraram o retorno dos países que não vinham sendo convidados desde 1920 por causa da Primeira Guerra Mundial (Alemanha, Áustria, Hungria, Turquia e Bulgária).
 
Apesar de 16 esportes inscritos, o Brasil não teve um atleta sequer participando do evento, que contou com 2.883 atletas (2.606 homens e 277 mulheres). 
 
Pombas pela paz
 
Com a Europa em fase de recuperação do período pós-Guerra, a Holanda teve a chance de fazer um dos Jogos Olímpicos com mais novidades. A começar pela cerimônia de abertura, que ocorreu no novo estádio.
 
Pela primeira vez na história, pombas brancas foram soltas pelo ar para representar a paz no mundo. Junto ao voo delas foi acesa, como ainda manda a tradição, a pira olímpica. A chama foi transportada da cidade de Olímpia (Grécia) diretamente para o estádio. O revezamento da tocha, porém, só foi introduzido nos Jogos de 1936, em Berlim.
 
Outra novidade foi a participação das mulheres (a quem o Barão de Coubertin sempre fizera oposição), que cresceu sensivelmente. Pela primeira vez, assim, o atletismo e a ginástica contaram com provas femininas.
 
Uma das maiores patrocinadoras do evento até hoje, a Coca-Cola apareceu pela primeira vez nos Jogos. Milhares de caixas do refrigerante foram transportadas no porão do navio que levava a delegação norte-americana. Uma gentileza da fábrica (futura patrocinadora dos Jogos) em favor do movimento olímpico.
 
Uma tradição, entretanto, foi mantida. Na Olimpíada de Amsterdã, o COI manteve o hábito de autorizar os comitês nacionais a colocar esportes de exibição. Depois da pelota basca nos Jogos de Paris, estiveram presentes na cidade holandesa o tiro ao arco, o jogo de palma (espécie de tênis), o korfball (uma variante do handebol) e o lacrosse.
Classificação de 1928
  País Ouro Prata Bronze  
Estados Unidos 22 18 16 56
Alemanha 10 7 14 31
Finlândia 8 8 9 25
Suécia 7 6 12 25
Itália 7 5 7 19
Suíça 7 4 4 15
França 6 10 5 21
Holanda 6 9 4 19
Hungria 4 5 0 9
10º Canadá 4 4 7 15
11º Reino Unido 3 10 7 20
12º Argentina 3 3 1 7
13º Dinamarca 3 1 2 6
14º Tchecoslováquia 2 5 2 9
15º Japão 2 2 1 5
16º Estônia 2 1 2 5
17º Egito 2 1 1 4
18º Áustria 2 0 1 3
19º Austrália 1 2 1 4
Noruega 1 2 1 4
21º Iugoslávia 1 1 3 5
Polônia 1 1 3 5
23º África do Sul 1 0 2 3
24º Espanha 1 0 0 1
Índia 1 0 0 1
Irlanda 1 0 0 1
Nova Zelândia 1 0 0 1
Uruguai 1 0 0 1
29º Bélgica 0 1 2 3
30º Chile 0 1 0 1
Haiti 0 1 0 1
32º Filipinas 0 0 1 1
Portugal 0 0 1 1
+ Mais

Ficha

Países participantes
46
Número de modalidades
16
Número de atletas
2.883 (2.606 homens, 277 mulheres)
Participação do Brasil
não participou
Data de abertura
17 de Maio de 1928
Data de encerramento
12 de Agosto de 1928

Pôster e medalha

Já viu os de Los Angeles-1932? Confira

UOL Cursos Online

Todos os cursos