Pistorius pede desculpas a brasileiro que conquistou ouro paraolímpico

Da BBC, em Londres (Inglaterra)

  • AP Photo/Matt Dunham

    Oscar Pistorius cumprimenta Alan Fonteles após a vitória do brasileiro nos 200 m rasos

    Oscar Pistorius cumprimenta Alan Fonteles após a vitória do brasileiro nos 200 m rasos

O atleta sul-africano Oscar Pistorius se desculpou nesta segunda-feira pelas críticas feitas ao brasileiro Alan Fonteles, que conquistou neste domingo a medalha de ouro nos 200 m rasos na classe T44 dos Jogos Paraolímpicos, disputados em Londres, deixando-o com o segundo lugar.

Pistorius, conhecido como ''Blade Runner'', repetiu, após a derrota na final, o mesmo protesto que já havia feito na semifinal sobre a suposta irregularidade das próteses usadas por Fonteles.

O sul-africano acusa Fonteles de usar próteses que deixam o brasileiro mais alto, o que lhe confere uma vantagem na corrida.

''Não foi uma corrida justa. Vendo o replay, não entendo como é possível avançar, estando oito metros para trás, nos 100 metros (finais), para depois vencer. É absolutamente ridículo.''

''Sem querer tirar o mérito de Alan, mas esses caras estão bem mais altos, não dá para competir'', acrescentou.

O velocista brasileiro passou à frente de Pistorius, que liderava a corrida, com uma arrancada, na reta final, conquistando a prova e o ouro olímpico com um tempo de 21s45, à frente dos 21s52 do sul-africano.

Oscar Pistorius
Oscar Pistorius

Em Londres, o brasileiro está usando próteses que o deixam mais alto, passando de 1,76m para 1,81m, mas o uso das próteses foi permitido pelo Comitê Paralímpico Internacional (CPI).

Em uma declaração divulgada na segunda-feira, Pistorius abrandou o tom em relação às críticas iniciais. ''Eu jamais iria diminuir o momento de triunfo de outro atleta. E quero me desculpar pelo momento em que diz meus comentários, após a corrida de ontem'', afirmou.

''Eu creio que existe um problema aqui e saúdo a oportunidade de discuti-lo com o CPI. Mas reconheço que levantar essas preocupações imediatamente ao sair da pista foi um erro'', acrescentou. "Aquele foi o momento de Alan e eu gostaria de deixar registrado que tenho respeito por ele.''

O brasileiro havia rebatido as críticas feitas pelo rival, dizendo que ele estava tentando desviar a atenção de sua derrota, mas primou pela diplomacia.

''Ele não é um mau perdedor, ele é um grande atleta. Só estou triste com a entrevista em que ele disse que minhas próteses são grandes demais''', afirmou.

''Ele ficou incomodado com meu tempo nas semifinais e queria me afetar com a sua polêmica, mas não funcionou. Para mim, ele é realmente um grande ídolo e ouvir isso de um ídolo é duro. Não sei com quem ele está comprando uma briga, mas não é comigo'', acrescentou.

Pistorius havia conquistado a medalha de ouro na modalidade de ouro nos 200 m rasos da T44 tanto em 2004 como em 2008.

Nos Jogos Olímpicos de Londres, realizados antes dos Jogos Paraolímpicos, Pistorius se tornou o primeiro atleta amputado nas duas pernas a participar da competição, ao tomar parte da corrida de 400 metros e ao integrar a equipe de revezamento sul-africana nos 4 x 400 metros.

Pistorius também foi alvo de uma polêmcia semelhante à que está levantando, quando, entre o final de 2007 e março de 2009 suas próteses foram consideradas ilegais em competições regulares de atletismo. Mas o veto acabou sendo derrubado ainda em 2009 e ele pôde competir normalmente na Olimpíada de Londres.

A categoria T44 do atletismo é para atletas com perda de membros ou deficiência dos membros inferiores. Alan e Oscar são biamputados e os dois voltarão a se enfrentar na competição, nas provas dos 100m e 400m T44 e no revezamento 4x100m T42/T46.



Shopping UOL