Americano naturalizado para defender o Brasil vira "Juninho" e quer duelo com amigo da NBA

Bruno Freitas
Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/LNB

    Brasileiro Larry Taylor diz ter telefonado para contar sobre sua naturalização a Dwayne Wade

    Brasileiro Larry Taylor diz ter telefonado para contar sobre sua naturalização a Dwayne Wade

Oficialmente naturalizado brasileiro desde a última terça-feira, quando o "Diário Oficial" da União confirmou sua nova cidadania, o jogador de basquete Larry Taylor é nome praticamente certo na convocação do técnico da seleção brasileira para a disputa da Olimpíada deste ano.

Assim, o sorridente armador norte-americano do Bauru deve levar para Londres toda sua imersão cultural no país que decidiu representar esportivamente, do humor do Pânico ao som do Exaltasamba, bem como carregar o apelido local recentemente criado.

LARRY, UM BRASILEIRO

  • Instigado pela reportagem do UOL Esporte, Larry Taylor respondeu a algumas perguntas sobre predileções na cultura brasileira. O jogador do Bauru mostrou estar afiado com o que há de mais popular na atualidade do país. Confira:

    MÚSICA
    "Gosto de pagode e de funk. O que mais gosto é o Exaltasamba"
    COMIDA
    "Prefiro o churrasco, com picanha e linguiça. É bem diferente do barbecue americano, que tem bastante molho"
    TELEVISÃO
    "Gosto muito do Pânico (foto acima). Vejo sempre também o Big Brother Brasil"
    UMA MULHER
    "Gisele Bündchen, a top model que todos conhecem"

    *Em entrevista ao UOL Esporte no ano passado, Larry Taylor havia relatado que adotou o Corinthians como time de futebol e que andava treinando cantar o hino nacional através de vídeos do YouTube.

Desde a oficialização de seu status como brasileiro, Larry James Taylor Junior tem convivido com brincadeiras daqui sobre a adoção de um nome típico do país. "As pessoas estão me chamando de Juninho agora, fazendo essa brincadeira", diz o atleta, no Brasil desde 2008.

Nascido em Chicago, Larry Taylor comunicou seus familiares nos Estados Unidos nesta semana sobre o sucesso no processo de naturalização, explicando que ainda mantém a cidadania norte-americana.

O destaque do Bauru no NBB (Novo Basquete Brasil) também pegou o telefone para informar a transição para um amigo de longa data, o armador do Miami Heat Dwayne Wade. Na conversa, o mais novo brasileiro provocou o astro da NBA ao ressaltar que ambos agora são adversários em ambiente olímpico.  

"Eu sou amigo do Dwayne Wade, ele também é de Chicago, passamos férias juntos, com a sua mulher. Conheço ele há uns 12 anos. Liguei para ele e disse que não poderei mais torcer por ele", afirmou Larry, em meio a gargalhadas.

Brasil e EUA se enfrentarão em 16 de junho, na reta final da preparação olímpica. "Será um grande jogo contra eles, têm um time muito bom", opinou Larry.

Na última semana, em entrevista ao UOL Esporte, o técnico Ruben Magnano disse que esperava o desfecho da situação de Larry Taylor, mas que contava com o jogador em seu grupo.

No ano passado, o armador já havia sido recrutado pelo treinador argentino para fazer parte da equipe que disputaria o Pré-Olímpico de Mar del Plata. O norte-americano treinou alguns dias com o time, mas não pôde seguir com a seleção, pois o processo de naturalização não havia sido concluído.

"Deu certo e estou muito feliz. Agora vamos esperar a convocação. Não conversei ainda com o Magnano. Vou ligar para ver o que vai acontecer", declarou o jogador do Bauru, de 31 anos.

A julgar pela configuração de elenco escolhida por Magnano no Mundial-2010 e no Pré-Olímpico, o grupo terá Marcelinho Huertas como titular na armação e mais dois jogadores da posição. Taylor ingressaria no elenco para brigar por espaço, inicialmente como reserva, em disputa possível com algum dos outros nomes do setor que já jogaram com o argentino, como Nezinho, Rafael Luz e Raulzinho.

"Na minha cabeça quero fazer qualquer coisa que o treinador precise, dar o melhor possível. Acho que todos querem a mesma coisa, que é ganhar. Não importa muito se for titular ou reserva", afirma Taylor.

O argentino Rubén Magnano divulgará a convocação da seleção masculina de basquete em 17 de maio, com os nomes que vão iniciar a preparação brasileira para Londres, na volta do Brasil à Olimpíada após 16 anos de ausência.



Shopping UOL