Globo compra direitos da Paraolimpíada 2012 e estuda transmitir eventos ao vivo

Bruno Freitas
Do UOL, em São Paulo

  • Beto Monteiro/Divulgação CPB

    Daniel Dias mostra medalha conquistada no Mundial Paralímpico na categoria 50m livre (S5)

    Daniel Dias mostra medalha conquistada no Mundial Paralímpico na categoria 50m livre (S5)

A Globo estará de volta ao cenário olímpico neste ano, depois de perder para a rival Record os direitos de transmissão dos Jogos de Inverno de Vancouver (2010), do Pan de Guadalajara (2011) e dos Jogos de Londres (2012). A emissora carioca acertou a compra dos direitos da Paralimpíada, que acontece também na capital inglesa de 29 de agosto a 9 de setembro.

Para marcar o retorno ao ambiente de eventos do COI (Comitê Olímpico Internacional), a Globo estuda exibir ao vivo algumas das provas e competições da Paralimpíada. A assessoria de comunicação da emissora informa que um modelo de transmissão vem sendo analisado. De resto, reportagens sobre os Jogos estarão presentes em todos os noticiários esportivos e nos demais telejornais da casa. 

Em 2004 e 2008, os direitos foram comprados pelo Comitê Paralímpico Brasileiro, que produziu as imagens e as repassou às emissoras interessadas.

Para os Jogos de Verão do COI, no evento principal do ano, a Globo promete uma cobertura normal, apesar das limitações impostas pelo fato de os direitos pertencerem à Record (que desembolsou US$ 60 milhões pela exclusividade). A emissora carioca montará sua estrutura na base da delegação brasileira em Londres, em Crystal Palace, fora da área oficial de atuação de TVs na Olimpíada. 

A exibição da Paralimpíada 2012 simboliza o retorno da Globo às transmissões do gênero, uma tradição da casa que será resgatada de vez no próximo ciclo de eventos do COI. Em 2009, a entidade confirmou que a emissora carioca terá os direitos dos Jogos de Inverno de Sóchi (em 2014 na Rússia) e na Olimpíada do Rio de Janeiro em 2016.

No entanto, a transmissão dos Jogos do Rio será compartilhada. Somente a parceria entre Globo e Bandeirantes poderá explorar o conteúdo olímpico em todas as plataformas de mídia, como rádio, internet, celular e TV. Para a Record caberá apenas o direito de exibição da Olimpíada na televisão aberta.



Shopping UOL