Notícias

Lula presta depoimento em ação penal contra Cabral

UOL Notícias

05/06/2018 12h02

Em sua primeira aparição pública desde que foi preso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) demonstrou bom humor nesta terça-feira (5) e disse que seu compromisso "é com a verdade" e que está "cansado de mentiras". O petista prestou depoimento de cerca de 50 minutos na manhã de hoje por videoconferência como testemunha de defesa do ex-governador do Rio Sérgio Cabral (MDB), que é réu em uma ação penal que investiga uma suposta compra de votos para escolha do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

Comunicar erro
UOL Notícias - Política
Folha.com - Mundo
Folha.com - Cotidiano
do UOL
Ricardo Feltrin
Midiamax
Band Geral
do UOL
AFP - Geral
Midiamax
do UOL
Agência Brasil
Folha.com - Equilíbrio
Folha de S. Paulo - Mercado
Midiamax
TN Online
Folha.com - Brasil
Mônica Bergamo
Opera Mundi
Folha de S. Paulo - Mercado
Folha.com - Brasil
UOL Notícias
Opera Mundi
Folha de S. Paulo - Mercado
Agência Brasil
redetv
Agência Brasil
redetv
redetv
Midiamax
Reinaldo Azevedo
Band Geral
UOL Notícias - Cotidiano
Folha.com - Brasil
redetv
redetv
AFP - Geral
TV Cultura
TV Cultura
UOL Notícias - Política
TV Cultura
TN Online

TN Online

ATP divulga lista do 'qualifying' do Rio Open e argentino e sérvio são atrações

A ATP divulgou a lista de tenistas classificados para o qualificatório do Rio Open nesta segunda-feira. A etapa prévia do maior torneio de tênis da América do Sul acontecerá nos dias 12 e 13 de fevereiro. Os destaques ficam por conta do argentino Sebastian Baez, uma das maiores promessas atuais do tênis, e do sérvio Miomir Kecmanovic, atual número 77 do mundo. A oitava edição do Rio Open está marcada para acontecer entre os dias 12 e 20 de fevereiro no Jockey Clube Brasileiro. O qualificatório terá entrada gratuita e definirá quatro nomes que avançarão na chave principal. A organização ainda irá divulgar as informações para entrada nesta primeira etapa, assim como os protocolos sanitários a serem seguidos. Após chegar nas oitavas de final do Australian Open, Miormir Kecmanovic, de 22 anos, chega como um dos favoritos do classificatório, ao lado de Sebastian Baez, de 21 anos. Na temporada 2021, o argentino foi semifinalista do Next Gen ATP Finals e entrou no Top 100 no início de 2022. O também argentino Juan Manuel Cerundolo é mais um dos nomes na lista. O italiano Marco Ceccchinato, que já foi semifinalista do Roland Garros em 2018, disputará sua sétima das oito edições do Rio Open neste ano. Os outros seis confirmados no classificatório desta edição são: os espanhóis Roberto Carballes Baena, Carlos Taberner e Barnabe Zapata Miralles; o boliviano Hugo Dellien; o colombiano Daniel Elahi Galan; e o alemão Yannick Hanfmann. O 'qualifying', como é chamada esta primeira fase, é composta por 16 vagas, sendo que 10 tenistas se classificam diretamente pelo ranking, além de três vagas preenchidas por convites e outras três para special exempts, reservadas para tenistas que não puderem disputar o qualifying por estarem disputando outro torneio. Essas vagas podem virar vagas diretas pelo ranking caso não sejam utilizadas. Serão realizadas duas rodadas eliminatórias e os quatro tenistas que conseguirem vencer em ambas entrarão na chave principal do Rio Open. A chave principal do Rio Open já conta com dois integrantes do top 10 mundial: o italiano Matteo Berrettini, 7º do ranking, e o norueguês Casper Ruud, número 8. Há também outros nomes de destaque como o argentino Diego Schwartzman, Dominic Thiem, da Áustria, o chileno Cristian Garin e o espanhol Pablo Carreño Busta. Veja a lista completa do qualificatório: 1. Sebastian Baez (ARG) 2. Roberto Carballes Baena (ESP) 3. Marco Cecchinato (ITA) 4. Juan Manuel Cerundolo (ARG) 5. Hugo Dellien (BOL) 6. Daniel Elahi Galan (COL) 7. Yannick Hanfmann (ALE) 8. Miomir Kecmanovic (SER) 9. Carlos Taberner (ESP) 10. Barnabe Zapata Miralles (ESP)

AFP - Geral
Band Geral
do UOL
TV Cultura
TV Cultura
Folha.com - Brasil
Opera Mundi
Estadão Conteúdo
TN Online

TN Online

Petição 'anti-penduricalhos' já soma 300 mil assinaturas contra supersalários

As cifras milionárias pagas mensalmente à elite do funcionalismo público no País gerou reação em pelo menos 300 mil brasileiros signatários de uma abaixo-assinado idealizado pelo Centro de Liderança Pública (CLP) e o Movimento Unidos Pelo Brasil. A petição online está aberta desde o segundo semestre de 2020, mas alcançou a marca de 300 mil assinaturas depois que o Estadão revelou as medidas adotadas pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, que autorizaram o pagamento de até R$ 471 mil em penduricalhos aos membros do Ministério Público Federal (MPF) no final do ano passado. O pacote de bondades do PGR custou R$ 79 bilhões aos cofres da instituição, que chegou a pagar R$ 401 mil líquidos a um único procurador, o ex-presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) José Robalinho Cavalcanti. As organizações suprapartidárias querem pressionar o Congresso pela aprovação do Projeto de Lei 449/2016, que proíbe gratificações acima do teto constitucional, os chamados "penduricalhos". O abaixo-assinado virtual conta com assinaturas de parlamentares como os senadores Antônio Anastasia (PSD-MG) e Álvaro Dias (Podemos-PR), os deputados federais Felipe Rigoni (PSB-ES), Tiago Mitraud (Novo-MG), Rubens Bueno (Cidadania-PR) e Tabata Amaral (PSB-SP) e a deputada estadual Janaina Paschoal (PSL). "As mais de 300 mil assinaturas são mais do que uma resposta da sociedade contra esses privilégios de uma pequena parcela do serviço público: São um pedido de socorro! O Senado precisa agir urgentemente e cortar esses penduricalhos da elite do funcionalismo. Não é possível que, enquanto o País sofre com mais de 13 milhões de brasileiros desempregados, o Congresso seguirá fingindo que esse problema não existe", afirma o gerente do CLP, José Henrique Nascimento. Como mostrou o Estadão, o PL dos supersalários está travado há cinco meses na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, sem sequer ter um relator definido, graças ao seu presidente Davi Alcolumbre (DEM-AP). Signatário do abaixo-assinado, o deputado Rubens Bueno (Cidadania-PR), que relata o projeto na Câmara, disse à reportagem que tem cobrado o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco e o senador Davi Alcolumbre a pautarem o texto. Em 2016, o projeto foi aprovado por unanimidade no Senado. Após mais de quatro anos de tramitação na Câmara, recebeu o aval dos deputados em julho de 2021. Como houve mudanças no texto, é necessária uma nova análise dos senadores. Até agora, contudo, nenhum relator foi designado para a matéria.

Topo