"Ela voltou e não consegui dar tchau", diz Arthur Nory sobre Biles

Reuters
Arthur Nory comemora conquista da medalha de bronze no exercício de solo nas Olimpíadas do Rio imagem: Reuters

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

Arthur Nory ajudou o Brasil a fazer história na ginástica artística ao garantir o bronze na final do solo durante os Jogos 2016. Pouco mais de dez dias depois, o atleta brasileiro falou sobre as estratégias para o novo ciclo olímpico e lamentou a falta de despedida à amiga Simone Biles, norte-americana que conquistou cinco medalhas no Rio de Janeiro.

Para se sentir próximo à atleta, Nory recorre às mensagens diárias. "A gente conversou bastante depois. Ela já voltou e não consegui dar tchau. Mas vou vê-la bastante. A gente se fala sempre, manda mensagem um para o outro", disse o ginasta de 22 anos.

Já de olho nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, Nory afirmou que vai manter as atenções no individual geral, mesmo com o excelente resultado no solo. O ginasta ainda frisou que sonha com uma final na barra fixa.

"Vou continuar no individual geral. A Olimpíada só mostrou que minha especialidade não é só a barra fixa, não é só o solo. Vou continuar treinando individual geral até porque vamos precisar de generalista para a próxima Olimpíada. Mas ainda quero minha final olímpica na barra. Estou sonhando com ela", ressaltou.

Segundo Nory, os planos de buscar uma medalha na barra o atrapalharam durante a competição. "O único aparelho que eu via que tinha chance era solo. Mas veio a final na barra (no Mundial de Glasgow, em 2015) e passei a acreditar mais nelas. Vim para a Olimpíada pensando muito na barra. Ela estava bem na minha cabeça e isso pode ter atrapalhado um pouco", disse.

Nos Jogos de Rio, depois de garantir uma vaga na final do solo, Nory e seu técnico Cristiano Albino optaram por uma série mais complicada, a fim de buscar uma medalha inédita para o Brasil. No fim, ele ficou com o bronze e Diego Hypolito com a prata.
 
"Depois que você faz a série e vê que tem chance, há aquela expectativa se conseguiu ou não a vaga na final. Depois que consegui, fiquei muito feliz, conversei com meu técnico e mudei a estratégia para arriscar. Era tudo ou nada, final olímpica. Tem de disputar medalha, não só participar. Deu tudo certo", explicou Nory.