! Com vaias a Hope Solo, EUA vencem Nova Zelândia em estreia na Olimpíada - 03/08/2016 - UOL Olimpíadas

Com vaias a Hope Solo, EUA vencem Nova Zelândia em estreia na Olimpíada

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

Favorita à medalha de ouro, a seleção norte-americana de futebol feminino estreou com o pé direito na Olimpíada. Os Estados Unidos derrotaram a Nova Zelândia por 2 a 0, no Mineirão, com gols de Carli Lloyd e Alex Morgan.

Nem tudo, entretanto, foi motivo de comemoração para as norte-americanas. A goleira Hope Solo foi muito vaiada pelos torcedores que marcaram presença no Mineirão. 

Torcida brasileira não perdoa Hope Solo

O torcedor brasileiro já tem a tendência por apoiar a equipe mais fraca quando não é o seu time que está em campo. E não foi diferente no confronto entre Estados Unidos e Nova Zelândia. Suporte que ficou maior pela presença de Hope Solo em campo. A goleira americana foi o principal alvo dos torcedores brasileiros que estiveram no Mineirão. Em julho, a camisa 1 do time feminino dos Estados Unidos postou nas redes sociais que estava preocupada com o vírus da Zika e brincou com a situação.

Brincadeira que não foi bem recebida no Brasil. Algo nítido na estreia americana, diante da Nova Zelândia. Hope Solo foi vaiada todas as vezes em que pegava na bola. Apesar de amenizar o discurso após a chegada em Belo Horizonte, Hope Solo não foi poupada e conseguiu unir os muitos atleticanos e cruzeirenses que estavam no estádio. Aliás, as camisas de Atlético e Cruzeiro só não estavam em maioria do que a camisa da seleção brasileira. Certamente desde o 7 a 1, na semifinal da Copa do Mundo, que tantos torcedores com a camisa canarinho não entravam no Mineirão.

No final da partida, a torcida cantou "olê olê olê olá, zika zika" para a goleira. Antes, nas cobranças de tiro de meta, gritos de "ôôô zika!" foram ouvidos. 

Eugenio Savio/AP
imagem: Eugenio Savio/AP

“Nunca quis ofender o Brasil”, diz Hope Solo

Em entrevista à emissora NBC Sports após o apito final, Hope Solo garantiu que não se incomodou com os gritos que ouviu no Mineirão.

"Os brasileiros amam futebol, é parte da cultura deles. Eles estão se divertindo. Prefiro um estádio barulhento do que ouvir uma agulha caindo", disse.

Ela contou que soube da repercussão negativa de sua mensagem no Instagram, mas que não teve a intenção de denegrir a imagem do Brasil. Apesar das vaias durante a partida, a goleira afirmou que foi bem recebida no país.

"Eu ouvi que houve respostas negativas aqui no Brasil. Nunca quis ofender o país que recebe os Jogos Olímpicos. Na verdade, eu estou torcendo para os Estados Unidos, mas, além da minha equipe, torço para o país anfitrião. Sou muito grata a eles pela organização do torneio. Honestamente, todo mundo por aqui tem sido muito bom e autêntico conosco. Me sinto acolhida aqui", declarou.

Domínio total dos EUA no Mineirão

Carli Lloyd, eleita melhor jogadora do mundo em 2015, abriu caminho para a vitória logo aos 9 minutos de jogo. Ela aproveitou cruzamento preciso de Tobin Heath e, entre duas adversárias, cabeceou no canto direito, sem chances de defesa para a goleira Erin Nayler.

A superioridade técnica dos Estados Unidos fez com que a Nova Zelândia passasse a maior parte do tempo recuada e apostasse nos contragolpes para tentar surpreender as favoritas.

A seleção norte-americana ampliou o placar logo no primeiro minuto da segunda etapa. Após uma troca de passes envolvente, Alex Morgan recebeu dentro da área e chutou com firmeza para as redes.

A estreia do Mineirão na Olimpíada teve público pequeno: apenas 9.566 pessoas estiveram no estádio. O anel superior sequer foi aberto pela organização.

Os Estados Unidos agora lideram o grupo G da Olimpíada. França e Colômbia completam a chave. 

Norte-americanos defendem a goleira no Twitter

Compatriotas da goleira utilizaram o Twitter para defendê-la das ironias dos brasileiros. Uma usuária da rede social escreveu que Hope Solo não quer comprometer seu sistema reprodutor e viu uma atitude "desrespeitosa" dos torcedores no Mineirão. Outra apontou "condições deploráveis" para os atletas olímpicos.

Alguns brasileiros, no entanto, deram continuidade ao deboche iniciado em Belo Horizonte e riram do episódio na internet.

Retrospecto quase impecável em Olimpíadas

Em cinco edições da competição feminina nas Olimpíadas, os Estados Unidos ficaram com a medalha de ouro em quatro. Nos Jogos de Sydney, em 2000, a Noruega levou a melhor na decisão e deixou as norte-americanas com a prata.

A seleção de Hope Solo chegou confiante ao Brasil, já que venceu o Mundial do ano passado, disputado no Canadá.

4 motivos para ver o futebol feminino na Rio 2016