! Brasil sobra em campo e estreia com vitória no futebol feminino na Rio-2016 - 03/08/2016 - UOL Olimpíadas

Brasil sobra em campo e estreia com vitória no futebol feminino na Rio-2016

Pedro Ivo Almeida

do UOL, no Rio de Janeiro

Pela primeira vez o hino brasileiro foi tocado nos Jogos Olímpicos do Rio. Ainda não foi no lugar mais alto do pódio, mas nem por isso os torcedores deixaram de comemorar nas arquibancadas do Engenhão. Nesta quarta-feira, na estreia do Brasil na competição, a equipe comandada por Vadão sobrou em campo contra a China, venceu por 3 a 0 e começou com o pé direito na competição disputada em solo tupiniquim.

Com a vitória, o Brasil já assume a liderança do Grupo E com três pontos, mesmo número da Suécia, mas com saldo de gol maior, já que venceu por três gols de diferença, enquanto as suecas bateram a África do Sul por apenas 1 a 0.

Na próxima rodada, a seleção brasileira enfrenta a Suécia, sábado (06), às 22h (de Brasília), no Engenhão, em partida que definirá a liderança da chave.

Quem foi bem: Beatriz, muita movimentação

A atacante Beatriz foi um dos nomes da vitória sobre a China. Apesar de não contribuir com gol, a camisa 16 mostrou muita movimentação e foi responsável por criar as melhores chances do Brasil. Com velocidade, saiu dela os contra-ataques mais perigosos, bem trabalhados, mas não tão bem aproveitados pelas atacantes da equipe comandada por Vadão.

Quem foi mal: zaga da China, atrapalhada

Leo Correa/AP
imagem: Leo Correa/AP

Encurralada em praticamente toda a partida, a zaga chinesa até se comportou bem durante o jogo, segurando a pressão do setor ofensivo brasileiro e evitando uma goleada no placar. Porém, no lance mais importante da etapa inicial, falhou feio e concedeu o primeiro gol do Brasil. Após saída errada da goleira, a brasileira Mônica cabeceou fraco, da marca do pênalti, e viu a bola passar entre três defensoras antes de morrer dentro do chinês.

Marta não brilha, mas aparece com assistência

Gonzalo Fuentes/Reuters
Marta serviu Andressa Alves no segundo gol do Brasil imagem: Gonzalo Fuentes/Reuters

Eleita melhor jogadora do mundo por cinco vezes seguidas, Marta ainda não mostrou seu melhor futebol nesta quarta-feira, mas conseguiu contribuir com uma assistência. Camisa 10 do Brasil na quarta Olimpíada seguida, a meio-campista é uma das esperanças da seleção para conquistar a inédita medalha de ouro em casa. Contra a China, ela até arriscou algumas jogadas individuais, sua principal característica, mas não teve muito sucesso sobre a marcação chinesa, que, muitas vezes, dobrava na brasileira para dificultar a criação de lances ofensivos. Em um lance de agilidade, serviu Andressa dentro da área, que ampliou para o Brasil.

Pressão brasileira e gol ‘atrapalhado’, mas merecido

O Brasil não teve problemas para tomar conta do jogo e dominar as chinesas durante o primeiro tempo. Com muito mais volume de jogo, a equipe comandada por Vadão tomou a iniciativa durante toda etapa inicial e criou diversas oportunidades de gol. A partida só não foi para o intervalo com um placar mais elástico porque Cristiane não conseguiu aproveitar suas chances e parou em boas defesas da goleira Zhao Lina. O gol, apesar de merecido, saiu de uma “trapalhada” do sistema defensivo chinês. Aos 34min, após bola levantada na área, a goleira saiu errado, a zaga errou o corte e Mônica cabeceou da marca do pênalti para baixo. A bola quicou no chão, passou entre três jogadoras chinesas, e a arqueira, antes de entrar devagar no canto.

Andressinha brilha, e Cristiane dá números finais ao placar

REUTERS/Gonzalo Fuentes
Andressa agradece assistência de Marta imagem: REUTERS/Gonzalo Fuentes

Na etapa final, Vadão optou pela saída da volante Thaisa para a entrada da meio-campista Andressinha. Participando mais do setor ofensivo, a camisa 17 eu outro ritmo ao jogo e participou diretamente dos outros dois gols da seleção brasileira. No segundo, anotado pela xará Andressa, foi dela o lançamento para Marta, que fez a assistência. Já nos minutos finais, Andressinha cobrou falta na área e Cristiane, que havia perdido alguns gols no primeiro tempo, subiu mais alto para dar números finais ao placar.

Em busca do ouro inédito

A busca pelo inédito ouro brasileiro não é exclusividade do futebol masculino. Assim como os homens, as mulheres do Brasil também estão atrás do lugar mais alto do pódio pela primeira vez nos Jogos Olímpicos. Os melhores resultados da seleção aconteceram em Atenas-2004 e Pequim-2008, quando a equipe brasileira ficou com a prata, perdendo as duas finais para os Estados Unidos. Em Londres, na última edição, a campanha foi pior: foram eliminadas nas quartas, após derrota para o Japão.

Del Nero acompanha estreia brasileira

Marco Polo Del Nero, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), prestigiou a estreia da seleção feminina na Olimpíada. Evitando estádios por conta das investigações dos últimos meses, o mandatário já havia aparecido no último amistoso da seleção masculina contra o Japão, no Serra Dourada, em Goiânia. Nesta quarta, ele acompanhou o jogo ao lado do vice-presidente Coronel Nunes, da ex-bandeirinha Ana Paula Oliveira, do diretor de relações institucionais da Federação do Rio, Leonardo Ferraz, e do superintendente técnico do COB, Marcus Vinicius Freire.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 3 X 0 CHINA
 
Data: quarta-feira, 03 de agosto de 2016
Horário: 16h (de Brasília)
Local: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Gol: Mônica, Andressa Alves e Cristiane (Brasil)
 
BRASIL: Bárbara; Fabiana (Poliana), Rafaelle, Mônica e Tamires; Thaisa (Andressinha), Formiga e Marta (Débora); Andressa Alves, Cristiane e Beatriz
Técnico: Vadão
 
CHINA: Zhao Lina; Zhao Rong, Liu Shanshan, Wu Haiyan e Li Dongna; Tan Ruyin, Pang Fengyue, Zhang Rui e Li Ying; Wang Shuang (Gu Yasha) e Wang Shanshan
Técnico: Bruno Bini