Cielo quer estabelecer melhor marca do ano nos 50 metros livre antes da Olimpíada

Das agências internacionais
No Rio de Janeiro

  • Divulgação

    Cesar Cielo disputa a partir desta terça-feira o Troféu Maria Lenk, no Rio de Janeiro

    Cesar Cielo disputa a partir desta terça-feira o Troféu Maria Lenk, no Rio de Janeiro

Recordista mundial dos 50 metros livre (20s91), Cesar Cielo tem com melhor marca do ano os 21s85 que estabeleceu no Sul-Americano de natação no mês passado.
 
E faltando menos de 100 dias para o início dos Jogos de Londres, o brasileiro tem como principal meta no momento baixar os 21s74 do australiano James Magnussen, que até o momento é a melhor marca do ano.
 
Sua primeira chance será no Troféu Maria Lenk, que começa nesta terça-feira (24) e vai até o próximo domingo (28).

BRASILEIRO NADA LESIONADO MAS GARANTE VAGA OLÍMPICA

  • O nadador brasileiro Tales Rocha Cerdeira garantiu vaga nos Jogos Olímpicos de Londres nos 200 m peito, na manhã desta terça-feira, durante disputa do Troféu Maria Lenk, no Rio. LEIA MAIS

 
"Se melhoro meu tempo aqui, tiro um peso de mim e posso analisar melhor como melhorar em Londres", disse o nadador aos jornalistas.
 
Em Londres Cielo encontrará a nova sensação da natação australiana, Magnussen, que arrasou na seletiva de seu país ao vencer os 100 m e os 50 m livre. "Farei o possível para bater o recorde do mundo porque posso ser o melhor da história", declarou o jovem australiano.
 
Comedido, Cielo preferiu não comentar sobre as declarações do adversário. "Ele é jovem ⎡ anos], fala bastante, e se isso lhe faz bem não me importa. Para mim, o mais importante é trabalhar todos os dias, treinar e nadar cada vez mais rápido para ganhar confiança e não para impressionar os outros", completou o brasileiro, quatro anos mais velho.
 
Cesar Cielo
Cesar Cielo
 
Nas piscinas londrinas, Cielo espera repetir o ouro olímpico dos 50 m livre conquistado em Pequim. "Meu principal objetivo é o título dos 50 metros. Seria genial seguir os passos de meus ídolos, Alexander Popov e Gary Hall Jr., bicampeões olímpicos nos 50 metros (Popov em 1992 e 1996 e Hall em 2000 e 2004)."
 
Uma das principais esperanças de medalha do Brasil em Londres, o nadador diz não se sentir pressionado. "A pressão que eu sinto é a mesma de 2008. Uma pressão que me estimula a melhorar. O fato de eu ser o favorito não me mudou."
 
Contudo Cielo prefere manter cautela quanto a suas chances nos 100 m livre, prova na qual foi bronze há quatro anos. "Farei todo o possível para ganhar o ouro dos 100, mas será muito mais complicado. Se ganho uma medalha, como em Pequim, estará muito bom", finalizou.

UOL Cursos Online

Todos os cursos